Manutenção de frota: conheça os tipos e o melhor para sua empresa

Manutencao-de-frota

Manutenção de frota vai muito além de simplesmente realizar serviços automotivos em um veículo. Na verdade, uma pequena mudança nesse processo pode ter um impacto gigante na sua operação e empresa.

Existem diferentes tipos de manutenção, que tendem a ser realizados em momentos distintos e de acordo com a necessidade do veículo ou da empresa que a gestão de frotas se aplica. Neste artigo, falaremos sobre manutenção corretiva, preventiva e preditiva. Além disso, mostraremos quando utilizar cada uma delas.

Quer saber qual é a manutenção ideal para sua frota? Então continue a leitura:

Quais são os tipos de manutenção de frota?

Existem três formas distintas de se realizar o processo, são elas:

Manutenção corretiva

Podemos defini-la como reparos feitos sem um planejamento prévio e em caráter emergencial. Usa-se quando o veículo “quebra” e não consegue mais rodar, seja por problemas mecânicos ou avarias.
Costuma gerar problemas na frota por ter um valor superior às demais manutenções. E como nós sabemos que gestores de frotas têm medo de custos como crianças de fantasmas, não é preciso nem falar que precisamos evitá-la, correto?

Mas calma, por mais que você queira (e deva) evitar a corretiva, ela se torna necessária em casos extremos, nos quais não há para onde correr. Então não tenha medo de usá-la quando REALMENTE precisar.
Nossa dica é exatamente essa, faça a manutenção corretiva apenas quando não há mais outra opção viável. Para evitar esse tipo de manutenção, veja o próximo tipo, que já se aproxima do ideal para utilizar na sua frota.

Manutenção preventiva

Questionada por muitos, mas indicada por quem a faz: assim é a manutenção preventiva. Em síntese, é uma manutenção feita de maneira recorrente, sem que necessariamente exista um defeito, mas com a ideia de evitar que um problema apareça e então uma corretiva seja necessária.

Alguns a questionam exatamente por ser executada com maior recorrência e gastos, mas não necessariamente você precisa trocar alguma peça toda vez que executá-la. Uma revisão geral é o necessário na maioria dos casos, simplesmente para conferir se está tudo em ordem.

Dessa maneira, a preventiva é mais barata que a corretiva, mesmo feita de maneira recorrente.

Para colocar em prática a manutenção preventiva, estabeleça um calendário de manutenções que obedeça alguns pontos importantes para a frota, como:

  • histórico de reparos do veículo;
  • recomendações feitas pelo vendedor ou fabricante;
  • durabilidade das peças em relação à marca;
  • quantidade de quilômetros rodados;
  • horário de funcionamento do carro.

Ter um checklist de veículos vai te ajudar a reunir parte das informações necessárias para definir seu calendário. Porém, o aconselhado é realizar a preventiva semanalmente ou ao menos uma vez a cada 15 dias.

A preventiva parece eficiente, não? Mas existe uma manutenção que é tão boa quanto e está em expansão pelas frotas. Saiba como ela atua, logo abaixo

Manutenção preditiva 

Ela tem o poder de mudar a maneira que sua frota faz manutenções. É a mais indicada, eficiente e assertiva de todas na lista.

Utiliza análise de dados para traçar um parâmetro entre as manutenções realizados em cada veículo. Desse modo, informa com antecedência quando os serviços devem acontecer. Esse processo acontece por meio de uma ferramenta específica, o checklist digital, que utiliza Inteligência Artificial e Big Data para otimizar a tarefa de gerir a frota.

Em relação aos custos, a preditiva sai mais barata que a preventiva (e muito mais econômica que a corretiva), devido a frota ser mantida em melhores condições de uso. Claro que é necessário um investimento financeiro na ferramenta, mas o custo-benefício será visto nos próximos meses.

Para aplicar a preditiva corretamente, basta seguir o cronograma indicado pelo checklist. Queríamos te dar uma noção exata de qual é o período que as manutenções ocorrem, mas isso varia de veículo para veículo.

Agora que você conheceu todos os tipos de manutenção, saiba abaixo onde e quando deve utilizar cada uma delas.

Quando devo aplicar cada tipo de manutenção na minha frota?

Basicamente, cada uma tem seu momento de acontecer, então use a:
corretiva quando o defeito já está agravado e necessita de reparos urgentes;
preventiva se quer diminuir gastos e possui um planejamento;
preditiva para ter uma eficiência maior que a preventiva — tanto na parte de custos, quanto do serviço em si.

E aí, gostou deste artigo? Ficou claro qual o melhor tipo de manutenção de frota para a sua empresa? Se encontrou o que procurava, comenta ai o que achou do texto!

Leave a Reply